Brasilis tem exposição da personagem LaLaLa Dog

João Ricardo Vieira dos Santos, o Jaum, é o mais novo convidado do projeto “O artista na Escola”, promovido pelo Colégio Brasilis. Ele ficou famoso em Mogi das Cruzes por ser o criador da cachorrinha LaLaLa Dog, personagem que se espalhou pelas fachadas da cidade e conquistou crianças e adultos. Agora, o trabalho do artista pode ser conferido em telas instaladas no hall de entrada da unidade II do Colégio Brasilis. A exposição possui obras inéditas e se estenderá até o dia 25 de março.

O lançamento oficial da exposição ocorreu na útlima terça-feira (11), com as presenças do autor, professores, coordenadores, alunos e fãs da cachorrinha LaLaLa Dog. As telas trazem a personagem em situações diferentes, com muitas referências à arte pop. Jaum também trouxe para o Colégio Brasilis alguns exemplares inéditos, que fazem parte de uma nova fase do trabalho, com inspiração abstrata.

No lançamento da exposição, Jaum conversou com os alunos e contou um pouco sobre sua trajetória. Os estudantes demonstraram bastante interesse pela exposição e fizeram várias perguntas sobre as obras e a história da cachorra Dalila, que inspirou o artista. Jaum também conheceu o trabalho realizado pelos alunos do Colégio Brasilis, com inspiração na obra do artista.

Durante as aulas da disciplina de Arte, os estudantes produziram mosaicos a partir da imagem da personagem LaLaLa Dog. As crianças aprenderam a relacionar o passado e o presente da arte enquanto intervenção de rua. Um dos alunos também produziu uma LaLaLa Dog em tamanho gigante, confeccionada a partir de tapumes. A exposição dos alunos está instalada no pátio da escola.

 O Artista na Escola

O projeto “Artista na Escola” foi concebido em 2008 com as intenções de valorizar a cultura local e incentivar o interesse dos alunos pelos mais variados segmentos das artes. Graças à iniciativa, passaram pelo Colégio Brasilis importantes representantes da comunidade artística mogiana.

Jaum: histórico

Jaum iniciou as intervenções em meados de 2013, em tapumes e muros de imóveis abandonados de Mogi das Cruzes. Os desenhos foram uma homenagem a Dalila, uma dogue alemã que pertenceu ao artista. Com a morte da cachorrinha, ele decidiu realizar os grafites. Não demorou muito para que a LaLaLa Dog caísse no gosto dos mogianos.

Com o sucesso, o artista transformou as intervenções, que eram apenas um hobby, em trabalho. Em nove meses de atuação, já são mais de 280 desenhos. As intervenções romperam as divisas de Mogi das Cruzes e estão espalhadas também por outros municípios como São Paulo, Guararema, São José do Rio Preto, Campinas e Porto Alegre.

previous arrow
next arrow
previous arrownext arrow
Slider

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *